quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Drylands: o inicio do fim


Por Yarles Silva e Danilo Borges
Nas areias do deserto, debaixo do sol e seu calor escaldante, a cidade de Sivia, famosa por seu mercado, daonde pode-se achar mercadorias vindas de toda a parte do mundo. Ao leste as cidades élficas se erguem como se fossem oásis no meio da vastidão de areia a perder de vista.
A oeste os anões erguem suas preciosas construçãos repletas de colunas e produzem o tão cobiçado vidro mitral. Ao sul, as tribos nômades de orcs devastam povoados e espreitam novos territórios montados em seus escorpiões gigantes.
Mas, embora tudo pareça calmo e rotineiro, tudo esta para mudar pois um expedicionista humano chamado Selray, acaba de encontrar na escavação de um templo antigo um rolo de papiro cravejado de joias, ele se senta, ofegante, suado e cansado mas ansioso para analizar sua descoberta, ao desenrolar ele percebe que a escrita é no idioma antigo utilizado pelos extintos alto elfos do deserto, estes grandes sacerdotes que serviam aos deuses confinados em construções piramidais, Selray estreita os olhos para conseguir ler:
há muito este dia foi adiado, estou velho e fraco, não posso mais guardar o templo ou cumprir minha obrigação de servo, já que os outros sucumbiram ao mal e foram destrinchados vivos por suas propias crias. A força já começa a me faltar, os deuses estão mortos, tudo foi em vão. Se eu pudesse imaginar que tão grande mal iria se suceder, se eu pudesse ter feito algo para salvar aqueles a quem eu tanto servi. Mas o mal ainda vive, e espalhara sua sombra por todas as terras desse mundo, nada poderá dete-lo, o assassino de deuses, mas eu posso retarda-lo, selarei aqui o mal, o mal que nenhum ser pode enfrentar, e cair com ele no esquecimento.
Selray, ainda estava boquiaberto, os deuses mortos? Se aquele pergaminho estava certo os deuses morreram a séculos. Selray se levantou e olhou para Sivia ao longe, se aquilo estava certo e ele conseguisse mais provas de sua descoberta ele seria rico! Quanto o pagariam por esse pergaminho e pelas provas do que aconteceu aos altoelfos do deserto? Ele sorriu estupefato, ele voltaria ali, arrumaria um grupo de aventureiros e os faria descer ate as pirâmides soterradas pela areia e ficaria rico!
Selray pôs se a caminhar ate seu camelo, ele não sabia o mal que estava preso naquelas ruinas.
Yarles Silva
Eae pessoal, como vocês já sabem, a uns meses atrás eu postei aqui uma classe chamada de elfo louva a deus, e seguidamente Danilo borges postou o anão escaravelho. Juntamos um mais um e olha só, nasceu a iniciativa Drylands, um cenário para 3d&t ambientado no deserto que já conta com três raças, o elfo louva a deus, o anão escaravelho e o orc do deserto, é claro sem falar nos humanos. Mas o que ela precisava mesmo é de um vilão, e é o que eu pretendo dar a ela. Imagine se os deuses morressem? E quem teria poder para mata-los? Bem, se vocês quiserem que eu continue esta historia, por favor digam, e se quiserem participar da historia que não tem fins lucrativos alias, envie seu nome, crie um personagem, quem sabe Drylands além de cenário não vira o conto oficial do ceifador rpgista, bem pessoal espero que tenham gostado, fiquem com deus e Fika a Dika!


Nenhum comentário:

Postar um comentário